Cidade Ocidental: 41 anos de fundação e desenvolvimento

postado em: Noticias | 0

Uma das cidades mais promissoras da região do Entorno completa 41 anos de pleno desenvolvimento social e político.

André Brito

Quando a Fazenda Aracati foi adquirida pelo empreendedor Cleto Meirelles, em 1974, o Brasil ainda vivia certo entusiasmo expansionista gerado pelo projeto progressista de Juscelino Kubitschek, Presidente que inventou Brasília, Capital de todos os brasileiros, como gostava de anunciar.

Devido às expectativas geradas pela promessa de uma vida melhor na Capital do País, a demanda por novas cidades começava a se expandir para as regiões circunvizinhas de Brasília. O número de imigrantes vindos de diversos pontos do país não parou de crescer desde a construção da nova capital. Todos os anos, milhares de “candangos” chegavam de seus estados a fim de começar de novo nas proximidades da Capital.

Cidade Ocidental surgiu com essa premissa, em 15 de dezembro de 1976, aliada ao empreendedorismo imobiliário de Meirelles. Apesar disso, por volta dos anos 1980, a cidade que fazia parte do Distrito de Luziânia, sentia-se abandonada e nascia daí um movimento emancipatório que mais tarde influenciaria outras cidades da região.

Então, após grande mobilização de líderes locais, a cidade emancipava-se de Luziânia em 09 de dezembro de 1990 e outros desafios se fariam presentes, como a formação dos poderes Executivo e Legislativo à nível municipal, a construção de equipamentos públicos como hospital, escolas, postos de saúde e toda a estrutura que Luziânia não poderia dar e agora caberia aos primeiros eleitos, atender a população que a cada dia se politizava mais.

Desde então, várias equipes gestoras, cada uma tendo à sua frente as necessidades comuns aos períodos para os quais foram eleitos, buscaram implementar as soluções que a população demandava para os problemas cotidianos. A Câmara de Vereadores, por vezes funcionando em locais improvisados, antes de ter sua sede definitiva onde antes funcionava a delegacia local, buscava representar de forma satisfatória, assim como hoje, seus eleitores.

Em 41 anos de existência, Cidade Ocidental enfrentou os mais diversos desafios políticos, administrativos e sociais, típicos de quaisquer cidades brasileiras, especialmente as que compõem a RIDE – Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno de Brasília ou simplesmente Entorno.

CONQUISTAS

Hoje, os moradores mais antigos percebem com mais clareza as mudanças que ocorreram desde a fundação da cidade, tendo em vista que podem se considerar observadores privilegiados, uma vez que moram no município desde o início. Abaixo, listamos apenas alguns exemplos.

  • Antes possuíamos apenas uma agência bancária, do extinto BEG – Banco do Estado de Goiás (que funcionava onde hoje é o SINE), que deu lugar ao Itaú (na Superquadra 15), mais tarde competindo com a Caixa Econômica Federal (Superquadra 16) e o Bradesco (Superquadra 12).
  • Hoje os aposentados e pensionistas podem se dirigir ao INSS (em frente ao Centro Administrativo) para requerer seus benefícios, ao lado de onde sempre foi a sede da CELG.
  • Hoje contamos, além do Hospital Municipal (ao lado da Associação de Moradores), com 13 Unidades Básicas de Saúde distribuídas pelos bairros e centro da Cidade, onde duas atendem em regime sentinela, até as 22:00 horas. Tudo isso além de Núcleo de Apoio à Saúde da Família – NASF, Centro de Prevenção e Reabilitação e Academias de Saúde.
  • Do ponto de vista educacional, se antes possuíamos apenas duas escolas estaduais, hoje temos o tradicional Colégio Estadual Ocidental – CEO, Colégio Jorge Amado – CEJA, Colégio Estadual Divina Olímpio Miranda – CEDOM e prevê-se a inauguração de outra unidade em breve.
  • A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer hoje administra 20 escolas municipais. Dentre elas, temos o Centro Interescolar de Línguas – CILCO, onde são ministradas gratuitamente aulas de Espanhol e Inglês para crianças, jovens e adultos, um Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado – CMAEE onde é oferecido atendimento aos estudantes com deficiência intelectual, deficiência física, deficiências múltiplas, deficiência auditiva e visual, Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD) entre outros.
  • Dentro do espectro da Segurança Pública, a Guarda Civil Municipal, sonho que parecia distante, uma vez que era uma reivindicação antiga da população e da classe dos Guardas Patrimoniais, veio para contribuir de maneira inestimável para a segurança dos moradores. Antes destinados apenas a guarnecer prédios públicos, hoje os GCMs, ajudam a Polícia Militar a recuperar veículos roubados, prevenir roubos e guarnecem a entrada de escolas e eventos públicos.

TRANSPARÊNCIA

Era comum a falta de conexão entre o cidadão e a municipalidade dentro do contexto participativo. Pouco se sabia sobre o que acontecia, o quanto era gasto e a quem recorrer quando se desejava obter informações, reclamar e até mesmo elogiar.

Com o advento das redes sociais, os cidadãos têm mais liberdade para fazer suas queixas e deixar seus elogios à administração municipal, além de cobrar e sugerir linhas de atuação para seus vereadores.

Com a gestão de Fábio Correa, tal fato necessidade torna-se realidade com a implantação das ouvidorias, que tem a função de receber denúncias, sugestões e solicitações de informação, obedecendo a legislação em vigor sobre o assunto. A iniciativa, inédita no Entorno, traz resultados positivos, pois coloca o cidadão em primeiro plano no que tange sua participação na comunidade.

  • Ouvidoria da Saúde: 3084-6425
  • Ouvidoria da Educação: 3903-2013
  • Ouvidoria Geral: 3605-1180

O orçamento participativo também veio para inovar dentro da gestão de Fábio Correa. Foram dezenas de reuniões ocorridas nos bairros para ouvir da população suas reivindicações e sugestões de como deverão ser gastos os recursos para 2018. Em todas, prefeito e vereadores estiveram presentes para ouvir a comunidade.

Em 2017, o Prefeito Fábio Correa sancionou a Lei nº 1.056/2017, de autoria do Colegiado de Vereadores, que dispõe sobre as comemorações do dia 15 de dezembro. Sendo assim, nossa cidade passa agora a ter duas datas comemorativas: 09 de dezembro, aniversário de emancipação e 15 de dezembro, aniversário de fundação. Portanto, este ano a Cidade Ocidental completa 27 anos de emancipação e 41 anos de fundação.

COMEMORAÇÕES

Uma intensa programação tomou conta da Orla do Lago em virtude das comemorações de 41 anos de Cidade Ocidental no sábado (16). Vários artistas da cidade se revezaram no palco para divertir os moradores, durante todo o dia as crianças puderam brincar no pula-pula, jogar ping-pong, entre outras atividades. Populares tiveram a oportunidade de visitar os estandes das Secretarias municipais e conhecer mais sobre a história da cidade, além das tendas assistenciais de saúde e da van odontológica.

Saiba mais sobre a história da cidade aqui e aqui.